Página Inicial > Board Games > Uma Redescoberta Inesperada

Uma Redescoberta Inesperada

boardgamesheader

Como vocês já sabem, eu sou um gamer. Tem muita gente que me chama de nerd, mas eu sempre retruco falando que Nerd é um cara que sabe muito, estuda muito sobre o assunto em questão, e esse não é meu caso, eu sou apenas um entusiasta. E quando falamos em gamer, obviamente pensamos somente nos vídeo games. Mas recentemente uma faíscas que há muito havia se apagado voltou a brilhar forte em mim. Essa faísca é o gosto por jogos de tabuleiro.

Como hoje em dia tudo é falando em inglês, jogo de tabuleiro virou “board games” em nossas terras também. Mas independentemente de você o chamar pelo nome nacional ou internacional, o fato é que os jogos de tabuleiro são sensacionais, e eu não fazia a menor ideia que eles tinham evoluído tanto.

Para mim, a coisa tinha parado no esquema Jogo da Vida, Banco Imobiliário, War e Detetive. Esses eram os clássicos que a gente jogava quando eu tinha meus 10 anos e ainda não tinha comprado um Master System e, até bem recentemente, esses eram os meus marcos de jogos de tabuleiro bons. Tanto que há uns dois ou três anos atrás eu comecei uma mini busca pessoal para ter uma edição de cada desses clássicos, mas eu queria ter uma edição diferenciada. Foi quando eu consegui o Detetive dos Simpsons, o Jogo da Vida do Family Guy, o Risk do Metal Gear Solid e o Banco Imobiliário do Street Fighter (substitui War por Risk, já que War parece que ninguém faz mais… ao menos não um versão especial como eu queria ^^)

Aquele Monopoly Milionário ali foi presente de natal do meu irmão! ^^

Aquele Monopoly Milionário ali foi presente de natal do meu irmão! ^^

E eu parei por aí. Adquiri estes jogos apenas por motivos nostálgicos, apenas para poder os ter na minha estante (até hoje só joguei uma partida do Jogo da Vida do Family Guy, por exemplo) e deixei pra lá. Não é que eu não gostava ou não jogava, tanto que eu comprei o Monopoly e o Risk para PS3, e planejava em os adquirir para PS4 também. Eu realmente achei que os jogos de tabuleiro na vida real estavam mortos.

Porém, ano passado conversando com um amigo do trabalho ele me falou de uma convenção de Board Games que ia acontecer em San Diego (se não me engano) e ele iria para lá. Lembro de perguntar “Mas… tem tanto jogo de tabuleiro assim para fazer uma convenção?” e aí ele me inundou com histórias fantásticas dos jogos que ele jogava.

Mas até aí, também, achei que era uma coisa que eu não me interessaria. Achei que ele estava exagerando. E então, coisa de uns 3 meses atrás, meu irmão que agora é pai de dois filhos e está comprando uns jogos para os filhos dele, disse que comprou uns para ele também e me chamou para jogar. E aí eu fui. E aí minha mente explodiu.

O jogo foi “Eldritch Horror”, um jogo cooperativo baseado nas histórias de H.P. Lovecraft. O tamanho do tabuleiro, o número de peças, as mecânicas de jogo e, mais importante, o fato de ser um jogo coop me atingiram como uma bomba. Eu realmente não fazia ideia que jogos de tabuleiro podiam ser tão bons! E claro, isso é apenas a ponta do Iceberg… ele me apresentou para a loja que ele compra os jogos, a Galápagos Jogos, e a cada descrição eu ficava mais impressionado.

Foi aí então que eu vi um “board game” que não é bem de tabuleiro… afinal, é um jogo de cartas. Um jogo de cartas baseado no universo do Senhor dos Anéis e que você joga sozinho ou em duas pessoas. Comprei, joguei, adorei! E aí eu vi mais um caminho que eu não sabia: jogos de tabuleiro para jogar sozinho! Um dos motivos de eu não me interessar por jogos de tabuleiro é o fato de eu não socializar muito fora do mundo online. Não vou à casa de amigos, não tenho amigos vindo na minha casa e enfim, basicamente não tenho com quem jogar. Mas agora, descobri que não preciso ter alguém para jogar comigo!

E foi isso… no último fim de semana eu me peguei jogando apenas umas poucas horas de meu PS4, fazendo as missões diárias do Destiny, e notei que passei uns 70% do fim de semana vendo canais do youtube sobre pessoas jogando diversos jogos diferentes. Zombicide, Mage Knight, XCom (cara, XCom parece ser TÃO BOM!!), expansões do Eldtrich Horror, etc… etc… Inclusive achei um podcast que discute exclusivamente sobre jogos para uma ou duas pessoas, o Low Player Count. Infelizmente o programa é em inglês, então se você não tiver domínio da língua fica difícil acompanhar, mas fica aí minha recomendação!

Enfim, fica a dica aí para todo mundo, caso vocês tenham fechado a mente para o mundo do entretenimento não digital como eu tinha feito. Há vida na mesa da sala, e há muita variedade e diversão, de forma que você não acha nos vídeo games! Afinal, no jogo de tabuleiro você não apenas joga, você é meio que o dono daquele mundo. Você monta o cenário, você interpreta as regras, você altera os efeitos de uma coisa ou outra se quiser. Acreditem, é sensacional!

Comentem abaixo se era só eu que estava alienado ou se vocês também achavam que os tabuleiros acabaram nos 4 clássicos. Você acha que eu sou um animalzinho, pois você joga jogos de tabuleiro desde sempre e acha ótimo? Então diga quais seus jogos favoritos, que sites recomenda para que eu saiba mais e esfregue na minha cara minha falta de conhecimento! 🙂

Abraços!
Johnnymaxx

  1. Johnnymaxx
    11, maio, 2015 em 17:08 | #1

    😉 Pensei em colocar o nome do Pandemic também quando tava citando alguns jogos aleatórios. Parece ótimo! 🙂

  1. 18, junho, 2015 em 22:22 | #1
  2. 30, junho, 2015 em 02:10 | #2